18/05/2018

Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo identificou mais três vítimas do desabamento do edifício Wilton Paes de Almeida, entre eles um advogado que antes morava em Ermelino Matarazzo e se transformou em morador de rua.

A identificação foi feita com base em exames de laboratório e DNA, confrontando restos mortais encontrados nos escombros do prédio com material genético colhido de parentes da vítima.

O advogado Alexandre de Menezes foi a última vítima a ter o nome incluído na lista de desaparecidos. A mãe e a irmã do homem, que era formado pela Uninove, procuraram a polícia para registrar o desaparecimento na semana passada.

Segundo a família, ele era solteiro, estava desempregado, e era dependente de drogas e álcool. Saiu havia 3 anos de casa em Ermelino Matarazzo, na Zona Leste da capital paulista, para morar na rua.

Desde o ano passado ocupava um cômodo improvisado do prédio que desabou. Alexandre ficava no décimo andar, mais isolado dos demais moradores do prédio, pois tinha fama de briguento, de acordo com a polícia.

Fonte: Rede Glogo/imagem: reprodução.

Comentários

VEJA TAMBÉM