13/06/2019

O boliviano Gustavo Vargas Arias, suspeito de ter matado e esquartejado a cunhada, o cunhado e o filho do casal que moravam na Ponte Rasa, no fim de 2018, chegou ao Brasil nesta quarta-feira (12). Os corpos das três vítimas foram encontrados em malas e sacos de lixo em uma casa alugada em Itaquaquecetuba em janeiro.

Arias fugiu para a Bolívia depois do crime, onde foi preso e, agora, extraditado. De acordo com o delegado Seccional de Mogi das Cruzes,Jair Barbosa Ortiz, agora ele responde como um criminoso brasileiro.

“Para nós o que importa é que ele cometeu crimes graves em território nacional e vai receber da justiça do Brasil o mesmo tratamento de um brasileiro nato, com direito a defesa. É como se fosse um brasileiro agora”, explica o delegado Seccional Jair Barbosa Ortiz.

Arias responde por homicídio qualificado, roubo e ocultação de cadáver. Para a polícia, a motivação do crime foi financeira. O suspeito trabalha com as vítimas com a produção de roupas. “O Gustavo quis tomar os negócios da família”, explica o delegado Eliardo Jordão, responsável pelas investigações do caso.

Miguel Álvaro Bautista Silvam, de 27 anos, foi preso no Brasil logo após a localização do corpo e responde pelos mesmos crimes. Ele morava com as vítimas e estava na casa quando os crimes foram praticados.

Outro suspeito, Roberto Carlos Xavier, foi solto, mas segue respondendo por ocultação de cadáver e receptação. Segundo a polícia, ele alugou a casa para onde os corpos foram levados e estava com os celulares das vítimas.

Comentários