25/12/2017

O aposentado Wilson Yoshinaga, 62 anos, tenta há dois anos receber os atrasados de sua aposentadoria.

Ele deu entrada no benefício por tempo de contribuição no dia em que completou 60 anos, em 18 de dezembro de 2015, mas recebeu a aposentadoria a partir de junho do ano seguinte.

“Entrei com recurso e ainda nada.”

Yoshinaga pediu o benefício pela regra 85/95.

A confusão começou quando foi atendido na APS (Agência da Previdência Social) de Ermelino Matarazzo (zona leste).

No dia do atendimento, o sistema do Cnis (Cadastro Nacional de Informações Sociais) estava fora do ar e um servidor fez o cálculo do tempo de contribuição do segurado na mão; o benefício foi negado.

Yoshinaga não concordou e foi agendada uma nova data, na semana seguinte, quando a aposentadoria mais vantajosa foi concedida.

O que o surpreendeu o segurado foi o INSS considerar como data inicial o dia em que o benefício foi calculado pelo 85/95, enquanto deveria ter sido o dia em que ele agendou pela primeira vez.

“É uma diferença de seis meses de aposentadoria. O dinheiro é meu direito.”

O segurado aguarda resposta do INSS sobre seu pagamento desde janeiro deste ano, quando compareceu a uma audiência na Turma de Recursos do instituto.

O INSS em São Paulo informou que o recurso do segurado foi deferido.

Segundo o instituto, ele deverá comparecer à APS Ermelino Matarazzo, das 14h às 16h30.

O órgão disse que enviou carta com a resposta do recurso.

Comentários

VEJA TAMBÉM