Envie esta notícia para seus amigos de Ermelino e Ponte Rasa

 

27/11/2012
 

Esse foi um dos temas tratados pelas equipes de transição da Prefeitura em reunião realizada na primeira semana de novembro. Em meio ao impasse jurídico, a atual gestão se comprometeu a pagar em juízo o valor de R$ 62,1 milhões pela área de 175 mil metros quadrados, situada na Avenida Jacú-Pêssego, nº 1623.
 
Declarada de utilidade pública em 2010, a aquisição do imóvel foi suspensa pela Prefeitura em julho do ano passado, após o Ministério Público Estadual descobrir que a empresa holandesa Mon Fort Administração de Bens Próprios comprara o terreno dois meses antes, em maio, por um valor 287% menor do que a proposta da Prefeitura: R$ 16,2 milhões em 15 prestações.
 
A suspeita de fraude motivou abertura de inquérito pelo Ministério Público (MP). Para acelerar a construção da universidade, sem prejuízo aos cofres municipais, o secretário de Negócios Jurídicos, Claúdio Lembo, garantiu que nada será pago antes da conclusão do inquérito. “Se o MP decidir que o terreno vale menos do que pagarmos em juízo, a diferença será bloqueada e retorna a Prefeitura”, declarou Lembo ao jornal o Estado de São Paulo.
Já o promotor Marcelo Duarte Daneluzzi, da 3ª Promotoria de Patrimônio Público, entende que a Prefeitura não deve pagar  um valor superior ao montante arrematado pela Mon Fort em maio de 2011. “O decreto de desapropriação determina que o valor a ser pago no terreno não pode ser superior ao praticado no mercado”,   comentou.
 
ATO PÚBLICO – Diante do impasse, o Movimento em Prol da Unifesp Leste agendou para dia 27 de novembro, às 19h, um novo ato público para cobrar da Prefeitura a compra da área. O evento será realizado no Polo Cultural da Zona Leste (Avenida Águia de Haia esquina Estrada de Mogi das Cruzes, na Vila União, Ermelino Matarazzo).
 
Para a vereadora Juliana Cardoso, presidente da Frente Parlamentar da Câmara Municipal pela Unifesp Leste, a luta pela implantação da Unifesp não vai retroceder. “O prefeito eleito Fernando Haddad tem essa proposta como prioridade para a ZonaLeste e está se empenhando antes mesmo do início de seu governo em janeiro de 2013 para viabilizar a sua implantação”, afirmou.
 
O Movimento pela Unifesp Leste nasceu há quatro anos e tem como coordenador geral o líder religioso Antônio Luiz Marchioni,  Padre Ticão da Paróquia São Francisco de Assis, de Ermelino Matarazzo. Ao longo dos últimos anos foram realizadas grandes reuniões públicas. Os organizadores esperam que no dia 27 possam, enfim, comemorar mais essa importante conquista.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM