29/10/2011

Um homem, de 26 anos, foi morto durante uma tentativa de assalto na rua Jacume Peles de Menezes, altura do número 900, em Ermelino Matarazzo, na zona leste da capital paulista, no início da tarde de sexta-feira (28).

Segundo a Polícia Militar, os pais da vítima, donos de uma empresa, haviam sido rendidos por dois homens armados, quando voltavam do banco, após sacar cerca de R$ 15 mil. A dupla entrou com o casal na empresa, e a vítima, a perceber a ação dos bandidos, tentou reagir com a arma do pai, que é colecionador, e acabou levado um tiro no peito, morrendo no local.

A dupla foi reconhecida pelo pai da vítima, e eles foram presos. O corpo da vítima permanece no IML (Instituto Médico Legal) Leste. Assista o vídeo da reportagem feita pela Rede REcord de Televis;ao:

 

Netas terça (02), o Dia de Finados será mais triste para o casal de administradores Marcos Antônio Rosa Ribeiro e Célia Aparecida Russo Ribeiro. Há cinco dias eles viram o filho Jéfferson Russo Ribeiro, de 26 anos, ser assassinado friamente por assaltantes que invadiram a casa da família, em Ermelino Matarazzo, Zona Leste, e desde então perderam o rumo.

Os bandidos estavam atrás de R$ 15 mil que Célia havia acabado de sacar em uma agência do Santander da Avenida Marechal Tito, no bairro vizinho de São Miguel Paulista, para despesas da empresa da família – uma prestadora de serviços da Sabesp germinada à residência do casal. Para defender a mãe, apavorada com a chegada dos criminosos, Jéfferson apanhou um revólver antigo do pai e atirou contra a porta, querendo assustá-los. Os ladrões revidaram. Uma das balas perfurou a parede, ricocheteou no chão, entrou pela cintura do rapaz e se alojou no coração.

“Tudo foi muito rápido. A polícia levou menos de cinco minutos para chegar, mas não havia mais tempo de socorrer o Jéfferson”, conta o tio, Nélson Antônio Rosa Ribeiro, que é sócio do irmão na empresa. “Eles não mataram só o meu sobrinho, eles destruíram a vida de todos nós”, lamenta.

Um dos funcionários da empresa, Paulo dos Santos Coutinho, conta que os bandidos chegaram cerca de 15 minutos depois de Célia. “Eles tocaram a campainha e perguntaram por ‘uma mulher chamada Maria, que tinha ido a um banco’. Quando disse que não havia ninguém com aquele nome, empurraram a porta, mostraram as armas e invadiram”, lembra-se. Segundo Paulo, os ladrões ainda o mandaram ficar quieto e o alertaram de que “não queriam nada com ele”.

Os bandidos foram primeiro ao escritório. “Deitaram meu irmão no chão, encostaram a arma na cabeça e perguntaram pelo dinheiro”, conta Nélson. Da porta de sua casa, Célia viu a confusão. Assustada, chamou pelo filho e correu para trancar a porta. Os ladrões a seguiram.
Jéfferson saiu em socorro da mãe e levou o tiro certeiro. “Foi muito triste, porque o rapaz ficou agonizando no chão, dizendo mãe, me ajuda, mãe, mas nem ela nem o pai dele puderam fazer nada”, conta Paulo, que há 4 anos trabalha na empresa.

Os ladrões fugiram sem levar o dinheiro. Segundo o delegado Juarez Marques de Andrade, do 63 DP (Vila Jacuí), que registrou a crime, um casal viu três homens deixarem a empresa correndo após os disparos, anotou a placa do Palio branco usado na fuga e avisou a PM. Uma equipe da Rota, em patrulhamento pelo Jardim Pantanal, cruzou com o veículo, ocupado por Elton da Silva Souza, de 24 anos, e o prenderam. O dono do carro, Vagner Gomes dos Santos, 32, foi detido depois. Ambos foram reconhecidos por quatro testemunhas. O terceiro fugiu com a arma.

Comentários

VEJA TAMBÉM