15/07/2018

 

Se os bairros mais próximos ao Centro são mais verticalizados, as periferias aparecem entre os lugares que menos possuem prédios, atestando o conturbado crescimento na metrópole que concentrou seus esforços no miolo, enquanto as bordas foram deixadas de lado.

Em Anhanguera, na zona norte,  nem 1% de seus imóveis são prédios. O Jardim Ângela, na Zona Sul, também possui essa mesma característica. Na sequência, aparecem Parelheiros (1%), Marsilac (2%), Cidade Ademar (3%), Grajaú (4%), Pedreira (5%), Cidade Jardim (8%), Ermelino Matarazzo (8%) e Artur Alvim (8%) . Diante de um crescimento desenfreado, o mercado imobiliário começa a se expandir, já que há um interesse na busca por imóveis mais afastados do Centro. E Ermelino Matarazzo aos poucos começa a assistir o aumento na verticalização.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM