13/01/2018

A corrida aos postos de saúde para tomar a vacina contra a febre amarela tem feito com que postos de saúde da grande São Paulo controlem sua distribuição. Na Unidade Básica de Saúde da Ponte Rasa, na zona leste de São Paulo, o estoque está sendo reposto diariamente, mas as senhas tem acabado por volta de 2h da tarde.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de São Paulo confirmou que ocorreram faltas pontuais nas duas unidades devido ao aumento da procura pela população.  “O remanejamento das doses está sendo realizado conforme a necessidade de cada unidade de saúde e a previsão é que a situação estaria normalizada ainda nesta quarta-feira (10)”, informou a pasta por meio de nota.

Sobre a UBS da Ponte Rasa, em Ermelino Matarazzo, a pasta informa que a região não faz parte da campanha de vacinação de febre amarela no município e que a orientação é procurar as unidades apenas em casos de viagem para áreas de risco.

Vacinação Fracionada

A Secretaria Municipal de Saúde informou também que a partir de 3 de fevereiro, terá início a vacinação fracionada contra a febre amarela em 15 distritos das zonas Leste e Sul. Farão parte da ação preventiva na zona Leste os distritos Cidade Líder, Cidade Tiradentes, Guaianases, Iguatemi, José Bonifácio, Parque do Carmo, São Mateus e São Rafael. Já na zona Sul farão parte da medida as regiões de Capão Redondo, Cidade Dutra, Grajaú, Jardim São Luis, Pedreira, Socorro e Vila Andrade.

A medida segue recomendação do Ministério da Saúde e tem como meta vacinar 2,6 milhões de moradores destas regiões.

A secretaria ressalta também que para idosos, responsáveis com crianças de colo entre 9 meses e menor de dois anos, e pessoas com deficiência tem prioridade para receberem a vacina em todas as suas unidades.

Parque Ecológico do Tietê

A reabertura de três parques estaduais na capital paulista, entre eles, o Parque Ecológico do Tietê (muito frequentado pelos moradores de Ermelino Matarazzo e Ponte Rasa) – fechados havia mais de dois meses após a infecção de macacos por febre amarela – causou desconfiança até entre frequentadores vacinados que nesta quinta-feira, 11, foram aos locais.

Infectologistas consideraram precipitada a reabertura dos parques. “Quem frequenta o Horto não é só quem mora no entorno. Enquanto não tiver cobertura de vacinação mais plena, acho precipitado”, disse Artur Timerman, presidente da Sociedade Brasileira de Dengue e Arboviroses. “Pessoas estão frequentando parques sem vacinação e sem colocar repelente”, completou Celso Granato, professor de Infectologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 Já Regiane de Paula, diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica estadual, disse que a reabertura dos parques só ocorreu após cumprimento da previsão de imunização do entorno.
 
Fonte: R7/imagem ilustrativa
Comentários

VEJA TAMBÉM