10/10/2002

O filho mais velho do lutador de boxe Adilson Maguila Rodrigues, o também pugilista Denilson Rodrigues, 24, conhecido como "Bola", é acusado de agredir um casal de idosos no local onde ele vive há mais de 15 anos, no Jardim Três Marias, em Ermelino Matarazzo, zona leste de São Paulo.

Por volta das 19h30 da última terça-feira, Bola, que é vizinho dos velhinhos, passeava com sua mulher e seu filho pela praça Maestro Assis Republicano quando viu o casal de idosos Valentim Feliciano de Castro, 78, e Maria Antônia de Castro, 82, sentados em frente à casa deles. Eles tentavam se refrescar do calor forte que fazia.

Depois de passar pelo casal, Bola teria voltado até a calçada onde eles conversavam e perguntado se estavam falando sobre ele. "Respondi que não e ele continuou o caminho dele tranquilamente", contou dona Maria ao Agora.

De repente, Bola, que já estava a mais de 20 metros do casal, voltou e começou a esmurrar seu Valentim na barriga e no rosto, segundo o casal. O nariz dele sangrou muito e, mesmo sofrendo de osteoporose, dona Maria defendeu o marido. Ela também foi agredida no braço esquerdo, agora inchado por causa da pancada que levou de Bola, lutador peso-pesado de boxe.

O casal de idosos, que mora há mais de 50 anos no Jardim Três Marias, foi levado pela PM ao PS Ermelino Matarazzo. Juntos, ganham cerca de R$ 400 por mês (eles gastaram R$ 5 de táxi para voltar do hospital para onde foram levados).

Enquanto isso, Bola fugiu de casa e não foi encontrado pela polícia. Segundo o delegadoHélio Bressan, do 24º DP (Ermelino Matarazzo), Bola poderá pegar de três meses a um ano de cadeia, caso seja condenado pelo crime de lesão corporal dolosa.

Surpresa

Edmilson Lima dos Santos, 23, outro filho de Maguila com sua primeira mulher e também boxer, disse que ficou surpreso ao saber da agressão do irmão contra os vizinhos idosos.

"Não dá para entender direito o que aconteceu com ele", falou Edmilson, que mora numa casa que fica entre a do irmão mais velho e a dos velhinhos espancados por ele.

Edmilson disse não saber onde o irmão mais velho está. O acusado não foi encontrado para dar sua versão do caso. O pai, Maguila, também não foi encontrado.

Fonte: Folha de S. Paulo

Comentários

VEJA TAMBÉM