22/04/2010

Com produção anual de cerca de 4 milhões de toneladas de lixo e índice de reciclagem inferior a 1% desse volume, a cidade de São Paulo corre o risco de perder R$ 6 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para a construção de dez galpões de coleta seletiva na cidade. A capital paulista está entre as prioridades do programa para reforçar políticas municipais de reciclagem, mas a prefeitura não consegue ceder terrenos para as obras das unidades de coleta, principal contrapartida para o recebimento dos recursos federais. Um dos terrenos que foi avaliado encontra-se em Ermelino Matarazzo.

O Departamento de Limpeza Urbana (Limpurb) da prefeitura de São Paulo informou que apenas três áreas para a construção foram aprovadas e reconheceu que encontra dificuldades para cumprir as exigências da Caixa Econômica Federal (CEF), agente financeiro que repassa os recursos do PAC. “É de total interesse da Prefeitura de São Paulo construir novos galpões de coleta seletiva de lixo. No entanto, o Limpurb está com dificuldades para encontrar áreas que atendam às exigências da Caixa Econômica Federal, em que os galpões devem ter 950 m2 em um terreno de, no mínimo, 3.000 m2. Das dez áreas previstas, três já foram aprovadas para receberem os novos galpões, as demais estão sob análise”, diz nota enviada pela assessoria de imprensa do Limpurb.

Comentários

VEJA TAMBÉM