02/03/2011

Ex-ministro Haddad no Hospital de Ermelino

O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou nesta sexta-feira em visita a Ermelino Matarazzo após percorrer o centro do bairro e verificar as condições do hospital Municipal Alípio Coirrea Neto de Ermelino que é preciso “respeitar o tempo de cada partido” da base do governo da presidente Dilma Roussef e negou que dificuldades no plano federal influenciem a discussão de alianças no município. Segundo ele, a escolha de Crivela para o Ministério da Pesca não influencia as negociações em São Paulo, onde o partido do ministro, o PSD, já tem como candidato Celso Russomano.

– Em nenhum momento sinto a conversa cruzada. Considerações federais não estão sendo colocadas e a presidente já deixou claro que não haverá cruzamento de interesses. As candidaturas dos partidos da base serão respeitadas – disse Haddad.

Haddad em frente à loja Magazine Luiza Ermelino

Perguntado sobre declarações do pré-candidato do PSDB, José Serra, de que o governo de Dilma Roussef ainda não teria “deslanchado”, Haddad ironizou.

– Eu não sou candidato dos Estados Unidos do Brasil. Talvez ele esteja se referindo a outro pais, não à República Federativa do Brasil.

Segundo Haddad, a busca de convergência de propostas em São Paulo com os partidos da base aliada do governo federal é legítima e natural e há tempo para discutir as alianças com calma. Haddad disse que o PT teria, sozinho, cerca de 4 minutos e 30 segundos de tempo nos programas eleitorais na tevê, que precisa ser ampliado. Em alguns casos, adiantou, as plataformas podem ser aproximadas para garantir alianças num possível segundo turno das eleições municipais.

– Não está descartada aliança com Gabriel Chalita, mas não é elegante incidir sobre candidaturas consolidadas. Trata-se de um amigo pessoal, tenho muita estima por ele e quero dialogar com tranquilidade – disse.

Sobre o benefício que a indicação de Crivela traria para sua candidatura, com a aproximação dos evangélicos, Haddad afirmou que é preciso ser racional e não há motivos para celeumas, pois discussões como essa produzem efeitos ruins para a sociedade, que levam à intolerância.

– A sociedade quer paz e respeito.

Nesta sexta-feira, Haddad esteve com líderes comunitários de Ermelino Matarazzo, reduto eleitoral da ex-prefeita Marta Suplicy e seus aliados, como o vereador Arselino Tatto, que não acompanhou a visita.

– O PT falou que é o Haddad é o Haddad – disse ao próprio Haddad a líder comunitária Eleci Avelino, da Associação Comunitária das Mulheres do Movimento Sem-Terra, que reivindicou apoio para o atendimento a idosos da comunidade.

O vereador Zelão (PT) afirmou que a comunidade esperava que a senadora Marta Suplicy fosse a canditada do PT à Prefeitura de São Paulo e só agora estão sendo inciadas as conversas para apresentar Haddad.

– As pessoas ainda não estão atentas ao tema da eleição. Estamos começando agora – afirmou Zelão.
Assista o vídeo:

Fonte: Yahoo Notícias e twitter do vereador Zelão

Comentários

VEJA TAMBÉM