20/10/2017

suspeitos libertados no keraluxA delegada Ana Paula Rodrigues, titular da 5ª Delegacia de Repressão a Crimes contra Crianças e Adolescentes do DHPP, disse em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (20) que as duas meninas de três anos encontradas mortas  em São Miguel Paulista foram assassinadas e depois estupradas por dois homens. Eles foram presos na manhã desta sexta.

Os corpos de Adrielli Mel Porto, a Mel, de 3 anos e 8 meses, e de Beatriz Moreira dos Santos, a Bia, de 3 anos e 11 meses, foram velados e enterrados nesta sexta no Cemitério da Saudade. Elas desapareceram no dia 24 de setembro e os corpos foram encontrados dentro de um veículo no dia 12 de outubro.

Segundo a polícia, Marcelo Pereira de Souza confessou seu envolvimento no crime, e Everaldo Jesus Santos também teria participação. Um deles, de 37 anos, já cumpriu pena por estupro. A policia não apresentou qualquer laudo sobre a autoria do crime.

“Segundo depoimento do Marcelo, que confessou o crime, ele nos disse que atraíram as crianças com doces. Eles levaram as duas até um barraco e disseram para as crianças que lá teriam mais doces. Eles mataram primeiro e depois estupraram as crianças”, disse a delegada.

Everaldo está prestando depoimento na tarde desta sexta-feira, de acordo com a delegada. Ela explicou que Marcelo não sabia os nomes das crianças e as tratava, durante o depoimento, pela cor da pele. “Ele nos disse que matou e estuprou a branquinha, que é a Beatriz.”

A delegada disse que ele foi indiciado por sequestro, estupro de vulnerável, homicídio e ocultação de cadáver.

Durante a investigação, a polícia descobriu que “Everaldo teve uma briga com Allan, pai da Adrielly, pois ele o teria acusado de roubar drogas dele”.

Ainda durante o depoimento de Marcelo, ele disse à polícia, que “pegaram as crianças entre 15h e 16h do dia do desaparecimento (24 de setembro) e que esperaram anoitecer para sair com as crianças e colocar na Fiorino. Eles não fecharam a porta da Fiorino para não chamar a atenção dos vizinhos”.

Em seu depoimento, Marcelo disse ter sofrido violência sexual quando criança. “Ele sofreu violência sexual por parte dos primos quando tinha 12 anos. Ele confessou o crime e disse que precisa de tratamento.”

A polícia ouviu o depoimento da mulher dele, mas não divulgou o nome dela. “Ela disse, no dia seguinte ao desaparecimento, ter confessado para ela ter matado e estuprado as crianças com o Everaldo. Por isso a mulher nos disse que não conseguia mais dormir com ele.”

 

Comentários

VEJA TAMBÉM