06/06/2011
 

O Jornal "Fato Paulista"  em reportagem assinada pelo Luis Mário Romero fez fortes denúncias contra o Vereador Adolfo Quintas. Veja abaixo trechos publicados na edição de nº 148 em 03 de junho de 2011:
 
" Enquanto a prefeitura paulistana continua implacável com a fiscalização para coibir os comerciantes que desrespeitam a Lei Cidade Limpa, grande mote da gestão do prefeito Gilberto Kassab, um vereador que o apoiou em sua reeleição gastou de junho do ano passado até fevereiro, exatos R$ 43.445,50 com uma empresa do município de Itaquaquecetuba que atua basicamente com a confecção de outdoors. Ironia do destino? Não. E para piorar, os valores foram descontados da verba de gabinete do parlamentar paulistano. O autor da proeza? O vereador Adolfo Quintas, que recentemente foi notícia também na Rádio Bandeirantes AM, devido envolvimento com o desvio de donativos para os desabrigados da região serrana carioca.A empresa Impact, com sede no Jardim Monte Belo em Itaquequecetuba, de acordo com dados da Junta Comercial de São Paulo, tem como objeto social (depois de várias alterações): "criação de stands para feiras e exposições". Porém no cartão de visitas o que aparece é "outdoors, serigrafia e impressão digital". Quando alguém telefona na empresa e pergunta o ramo de atividade, a resposta é: "trabalhamos com outdoors, mas também com banners e adesivos para carros".
Claro que o reembolso das despesas de gabinete dos vereadores paulistanos não é previsto gastos com criação de stands para feiras e exposições, muito menos com outdoors, banners e adesivos para carros, mas o vereador Adolfo Quintas (foto) do PSDB volta a ser notícia por ter gasto desde junho do ano passado R$ 43.445,50 com a empresa Impact Outdoors, Serigrafia e Impressão Digital.
A verba de gabinete de cada vereador paulistano é de R$ 15.393,75 e é destinada para custear despesas do mandato como serviços gráficos, correios, assinaturas de jornais, deslocamentos por toda a cidade e matérias de escritório, conforme as leis 13.637/03 e 14.381/07, de acordo com o site da Câmara Municipal paulistana. Não existe, porém, nenhuma alusão quanto a reembolso de gastos com outdoors, banners, adesivos para carros ou, muitos menos, criação de stands para feiras e eventos.
De acordo com a prestação de contas, disponível no site da Câmara Municipal, o vereador Adolfo Quintas gastou de sua verba de gabinete os seguintes valores com a Impact: junho/10: R$ 4.665,50 – julho/10: R$ 7.800,00 – setembro/10: R$ 7.800,00 – outubro/10: R$ 7.880,00 – janeiro/11: R$ 7.800,00 e fevereiro/11: R$ 7.500,00, totalizando os R$ 43.445,50.
O questionável é o fato de em São Paulo não ser permitida a instalação de outdoors e claro, que ninguém tem conhecimento do nobre parlamentar ter organizado uma feira ou exposição, para que seja necessário contratar a instalação de stands.
Vale destacar uma informação que deve sim ser apurada pelo Ministério Público e pela Corregedoria da Câmara Municipal: durante a sua campanha para deputado estadual no ano passado, vários outdoors de Adolfo Quintas foram instalados em São Paulo e região (de acordo com a legislação eleitoral, neste caso os outdoors são permitidos). É no mínimo passível de questionamento o fato da prestação de contas das despesas de gabinete de Quintas constarem valores pagos justamente à uma empresa que produz outdoors.
A liberdade de expressão prevê o questionamento às autoridades públicas pagas com o erário público. Claro que não é passível de interpelação judicial o mero questionamento. De acordo com um orçamento enviado pela Impact para este jornal: com R$ 43.445,50 é possível confeccionar 135 outdoors no tamanho padrão ( 3 metros de altura por 9 metros largura) em papel, com durabilidade de 15 dias, cada um ao custo de R$ 320,00. Se a opção for em lona com durabilidade de seis meses, o valor sobe R$ 762,00, já neste caso com a verba gasta com a Impact, possibilita apenas 57 outdoors.
 
A edição 146 deste Fato Paulista, que circulou no dia 7 de maio último, a primeira página veio com seguinte manchete: "Vereador gasta 48 mil com festas e eventos". A reportagem abordou gastos de R$ 6 mil durante 8 meses com a empresa Empório da Mídia, que tem como objeto social: filmagem de festas e eventos. Bastou a edição ser distribuída em algumas bancas, para muitos moradores da Zona Leste adjetivarem o vereador de o "Rei das Festas".
Para piorar ainda mais a situação de Quintas, um dos sócios da Empório da Mídia, é Thiago Pierre, que dá expediente em seu gabinete e até recentemente enviava e-mails para os jornais assinando como integrante da assessoria de imprensa do vereador. Inclusive no jornal onde Adolfo publica a sua chamada "carta aberta" Thiago Pierre é citado como assessor de imprensa, que representava Quintas em um lançamento de livro no Shopping Leste Aricanduva.
Outro fato que deve ser apurado pelo Ministério Público e pela Corregedoria da Câmara Municipal é a prestação de contas de Adolfo Quintas do mês de abril, onde ele pediu reembolso de apenas R$ 600, ou seja, depois das denúncias deste jornal, não aconteceram mais reembolsos através de notas fiscais da Empório da Mídia. "Onde há fumaça, há fogo".
 
Antes do fechamento desta edição, no dia 1º de junho, às 15h20, a reportagem do Fato Paulista tentou ouvir o parlamentar. No gabinete quem atendeu o telefone foi o próprio Thiago Pierre, sócio proprietário da Empório da Mídia, que recebeu R$ 48 mil por filmagem de festas e eventos (R$ 6 mil por mês durante 8 meses), ele passou a ligação para Daniele, que se identifica como assessora de imprensa do parlamentar. Ela falou que o vereador não estava e que retornaria a ligação. A edição foi fechada às 20h45 e não houve nenhum retorno do gabinete do parlamentar."
 
 
Fonte: Fato Paulista
Comentários

VEJA TAMBÉM