01/12/2009

Há dez anos, Ademir Gimenez Perez organiza casamentos na Igreja de São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo. No dia 29 de novembro, teve de colocar sua experiência em prática para administrar o casamento comunitário de 240 casais. Perez e mais 360 voluntários, entre eles escreventes e juízes, participaram do projeto Casamento Comunitário, ação da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania (SJDC) e do Shopping Interlagos, em parceria com os cartórios de registro civil de Capela do Socorro, Santo Amaro e Parelheiros (zona sul de São Paulo).

O projeto é direcionado a pessoas carentes, impossibilitadas de arcar com as despesas necessárias à legalização de uma união. Casais sem condições financeiras podem buscar um cartório de registro civil próximo à sua residência e solicitar a isenção de taxa do registro (R$ 272,75), conforme determina o artigo 512 do Código Civil.

Comentários

VEJA TAMBÉM