08/02/2019

Pacientes do Hospital Ermelino Matarazzo, considerado referência em atendimento na Zona Leste de São Paulo, são deixados em macas nos corredores e salas de espera. Alguns passam dias nesses locais porque não há quartos suficientes.

Segundo a acompanhante de um paciente, uma pessoa que teve Acidente Vascular Cerebral (AVC) aguardava desde a última sexta-feira (1º) no corredor.

Os próprios acompanhantes têm que mover as macas para encontrar um espaço. Na entrada, a sala de espera está lotada. Alguns pacientes dizem que às vezes têm que esperar o dia todo por atendimento.

“O médico falou que ela ia ter que ficar na fila”, disse a designer Cristiane Garcia sobre a mãe de 81 anos, que quebrou o fêmur. “Não tem leito, quase não tem funcionário para ajudar”.

Imagens gravadas por pessoas que passaram pelo hospital mostram que, na ala de observação, macas foram colocadas na sala de espera. Pacientes em leitos improvisados e visitantes se aglomeram no mesmo espaço.

Joyce Gonçalves, que levou um tombo e machucou o joelho, reclamou do atendimento. “Meu joelho está enorme, e o médico falou que a minha vida segue normal.”

O hospital, que tem neurocirurgia, psiquiatria e odontologia, recebe aproximadamente 1.200 pessoas todos os dias.

O que diz a Secretaria de Saúde

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde reconhece que as condições de atendimento no Hospital Ermelino Matarazzo não são as ideais, mas diz estar trabalhando para aprimorar o serviço.

De acordo com a pasta, será aberta uma licitação para reformar o hospital e ampliar o número de leitos. A Prefeitura deve entregar em junho nova unidade de pronto-atendimento na região para tentar atender a demanda que está concentrada na unidade de Ermelino Matarazzo. Assista.

Fonte: G1/imagem: reprodução

Comentários

VEJA TAMBÉM