Envie esta notícia para seus amigos de Ermelino e Ponte Rasa

11/02/2010

Os cerca de 200 idosos de toda a cidade de São Paulo que se reuniram na Fapesp nesta quinta-feira, dia 11 ouviram do presidente da Federação dos Aposentados de São Paulo, Antonio Alves da Silva, que a entidade entra também na luta dos idosos. O presidente lembrou que os idosos, aposentados e pensionistas, na maioria das vezes tem as mesmas necessidades e ” estão no mesmo barco”. Nesta atitute pioneira, de integrar os grupos da terceira idade em uma Federação, Antônio determinou a seus diretores e associações que entrem na luta pela conquista Instituto do Idoso.

Esta luta iniciada pela dirigente Gloria Abdo, dos aposentados dos bancários, com o padre Antonio Luiz Marchioni, carinhosamente chamado em Ermelino Matarazzo, como Ticão e 30 grupos da terceira idade é agora também reforçada pela Fapesp. No dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, na região da avenida Paulista uma manifestação será promovida com milhares de idosos de todo o estado e terá o apoio da Federação dos Aposentados.

O objetivo é sensibilizar o governo federal para que doe o hospital Matarazzo – desativado – para a comunidade e que seja criado o Instituto do Idoso. No local além de tratamento dos idosos também serão feitas pesquisas. O presidente da Fapesp lembra que como às crianças, os idosos precisam de atendimento personalizado. ” Somos bem atendidos por onde passamos, mas existe a necessidade de um tratamento especial”, lembrou o dirigente. Os participantes do encontro na Fapesp elaboraram diversas listas para buscar assinaturas em todo o estado, que serão entregues ao governo federal.

No encontro com os grupos de idosos de toda a capital, mas principalmente da zona leste de São Paulo o presidente da Fapesp pediu que todos lutem pela manutenção dos direitos conquistados até agora, como o Estatuto do Idoso, filas exclusivas, assentos personalizados, vagas, entre outros.

Antonio aproveitou o evento e homenageou as mulheres presentes, que eram maioria neste encontro e também anunciou a criação de uma sub sede da Fapesp na zona leste da capital, onde vivem cerca de 4 milhões de idosos. Também convocou a todos para que participem do grande ato do dia 25 de março no centro velho da capital, quando pretende reunir mais de 30 mil aposentados, pensionistas e idosos. Documentos serão elaborados mostrando os prejuízos acumulados pelos aposentados nos últimos anos e entregues a direção do INSS. O movimento promete parar o centro da capital paulista .

Comentários

VEJA TAMBÉM