14/03/2013
 

Para Padre Ticão, da Paróquia São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, a escolha do nome Francisco é uma forma de homenagear a um santo que deixou um legado de doação em um momento que a Igreja estava em crise. A  declaração foi dado ao Portal Brasil Econômico.
 
"A missão de Bergoglio será exatamente essa. Terá que se desdobrar para resgatar o prestígio da Igreja. Ele deve promover muitos diálogos com as outras religiões e entre as culturas do mundo todo, realizando um trabalho de conciliação".
 
Espera-se também que a relação estabelecida mude o paradigma que ficou estabelecido nos dois últimos papados. Ainda que João Paulo II fosse carismático, a doutrina era muito fechada e o tratamento aos fiéis era legalista, distante e fria. 
 
"Com Francisco, pode ser reestabelecido um clima de mais liberdade. Quem sabe a alta hierarquia da Igreja consiga se aproximar mais dos fiéis", considera Ticão. 
 
 "O papa precisava ser alguém fora da Cúria Romana", complementa Ticão.
 
 "A Igreja precisa de alguém que realmente demonstre intenções de realizar mudanças. Os conservadores não fariam isso certamente", conclui Ticão.
Comentários

VEJA TAMBÉM