19/09/2012
 

Fotos em perfis da rede social Facebook fizeram com que Ualaf Gustavo Siqueira Gomes Mazeto, de 19 anos, e Ismael Cícero da Cruz, de 25, fossem reconhecidos como autores da morte da universitária Bruna Marieth de Morais, de 20. A jovem foi baleada na nuca ao gritar por socorro durante uma tentativa de assalto a sua casa, na Ponte Rasa.
 
O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) recebeu informações sobre uma quadrilha especializada em invadir imóveis no bairro onde Bruna morava. Os investigadores levantaram os perfis dos suspeitos na internet e a mãe da estudante os reconheceu através das fotos.
 
Antes que a prisão deles fosse decretada pela Justiça, a dupla foi presa em outro roubo a residência, também na Zona Leste.
 
O delegado Marco Antonio Dario, chefe da Divisão de Homicídios, afirma que Ualaf foi quem atirou na universitária. Em interrogatório, a dupla nega qualquer participação no crime. “Mas a mãe os reconhece sem dúvidas. Ela desmaiou quando ficou frente a frente com eles”, afirma o delegado.
 
Os presos aparecem como averiguados em diversos boletins de ocorrência na região da Ponte Rasa desde 2008, quando ainda eram adolescentes. Um terceiro assaltante, cuja identidade não foi divulgada pela polícia, é procurado. O DIÁRIO não teve acesso aos advogados dos suspeitos.   
 
GRITO DE MEDO/ O crime aconteceu na noite de 26 de abril. Bruna chegou com o padrasto e eles não perceberam que os ladrões já estavam na casa. Quando foi surpreendida por Ualaf no quintal, ela gritou. Ele atirou na nuca da estudante e os ladrões fugiram sem levar nada. A ação dos criminosos durou quatro minutos, segundo imagens de câmeras de segurança dos vizinhos.
 
Fonte: Diário de S. Paulo
Comentários

VEJA TAMBÉM