Envie esta notícia para seus amigos de Ermelino e Ponte Rasa

03/02/2014

Nesta segunda-feira o Presidente do Corinthians, ex-delegado Mário Gobbi Filho,deverá levar ao Distrito Policial de Ermelino Matarazzo as filmagens e os nomes das testemunhas e vítimas da ocorrência de invasão e agressão no CT do Corinthians no último sábado.

No sábado, um vigilante do CT registrou Boletim de Ocorrência no 62.º Distrito Policial (Ermelino Matarazzo). O delegado José Clésio de Oliveira Filho deu início às investigações e chegou a pedir que uma equipe fosse à sede da Gaviões da Fiel para solicitar as fichas de associados da organizada, a fim de ajudar na identificação dos vândalos. Ontem pela manhã, no entanto, descobriu-se que a delegacia responsável por atuar na área do CT é o 24.º DP (Ponta Rasa). “O caso não está mais conosco e foi transferido para lá”, disse Oliveira Filho ao Estado.

Após interromper o diálogo com as torcidas organizadas do Corinthians por conta da invasão ao CT proporcionada por cem pessoas no último sábado, o presidente Mário Gobbi Filho pediu paciência à torcida com a reconstrução iniciada em 2014. De acordo com o mandatário máximo do clube, não há motivo que explique os atos de violência menos de dois anos após o Timão ser campeão mundial. Além disso, o ambiente pós-invasão, quando a propriedade do clube foi violada, funcionários roubados e até um jogador, Paolo Guerrero, agredido, “está parecendo o Vietnã”.

– Sabe o que parece? Que estou no Vietnã. Vou ter que me preocupar com segurança? O que fiz de errado? Todos nós cuidamos do Corinthians com amor, com carinho, e faz sete anos que o Corinthians vive de glórias. Se eu preciso de segurança talvez acho que não deva ser o presidente do Corinthians… quem viver, verá. Vamos ver quarta-feira como será – disse o presidente, respondendo a uma pergunta sobre o aumento de segurança particular e do próprio clube, que já reforçou seu efetivo nesta segunda-feira.

O comentário de Gobbi logo repercutiu na coletiva de imprensa, quando o presidente foi questionado se pensou em abandonar o cargo por conta da invasão do último sábado. Apesar da chateação, o ex-delegado de polícia negou que tenha intenção de deixar a presidência do clube, e promete agir contra os revoltados e defender o patrimônio do Corinthians.

Fonte: Terra/Estadão

Comentários

VEJA TAMBÉM