Envie esta notícia para seus amigos de Ermelino e Ponte Rasa

25/03/2010

Apresentamos na íntegra as conclusões apresentadas hoje (25) no Diário Oficial do Município:

Projeto 130: “Escola Ambiental Ermelinense”
Instituição Proponente: PROBEM, Associação Pró Bairro
Ermelino Matarazzo.
Duração do Projeto: 12 meses.
Valor solicitado ao FEMA: R$ 107.160,00.
Valor de Contrapartida: R$ 12.840,00.
Valor Total: R$ 120.000,00.
Objetivo Geral: Estabelecer metas educacionais e pedagógicas
para crianças, jovens, adolescentes, idosos e públicos em
geral voltadas para práticas ambientais e cidadania, criando um
espaço ecológico educativo, com oficinas diversas, enfocando
os cuidados com o meio ambiente e praticando a máxima dos 3
R, reduzir, reutilizar e reciclar.
Síntese da Avaliação: O projeto segue os itens do Edital,
mas o seu conteúdo não esclarece pontos essenciais, no item
metodologia consta que a proposta está direcionada a avaliar
fatos e ações passando pela cultura, pela ideologia e pelos
meios de comunicação. No subitem seguinte intitulado pesquisas,
coleta de dados e informações consta “Tendo por base
o direcionamento produtivo do projeto e o que se planeja produzir,
torna-se necessários estruturas, os processos e sistemas
produtivos, visando a racionalidade, economia e adequação
ambiental e produtiva as condições locais” e apresenta um
quadro com 2 itens de estudos, estudos técnicos de produção
e das cadeias envolvidas com meio ambiente e educação ambiental
e dimensionamento da matéria prima disponíveis, para
atuação na reciclagem e conservação dos recursos naturais.
Essa metodologia não encontra amparo no item atividades, há
uma lista que mistura equipamentos, biblioteca ambiental, sala
de palestras, viveiros com oficinas e campanhas de coletas seletivas,
óleos, pilhas, pneus. No orçamento aparecem palestras,
oficinas e horticultura. No item beneficiários, comprometem- se
a atender 1.980 pessoas, mas não há explicitação de como
serão captadas as turmas, com exceção do público da ACDEM,
Associação Casa Deficiente Ermelino Matarazzo, não estão
claros qual seria o público que faria os estudos e qual seria o
público que assistiria palestras e oficinas e que público atuaria
na coleta e destinação de materiais recicláveis, por outro lado
quase 90% dos recursos do projeto, são para os pagamentos
dos educadores. A contra partida refere-se a aluguel de imóvel,
prateleiras, armários, mesas e cadeiras, no entanto propõe-se
adquirir pelo projeto microcomputador, impressora e data show,
materiais que após o uso tem que ser incorporado aos bens da
prefeitura. Infelizmente o projeto tem muitas contradições. Pelo
acima exposto a CAV não recomenda o projeto por não atender
os critérios de seleção do FEMA. Então vamos a votação. Os
conselheiros que são favoráveis a aprovação do projeto “Escola
Ambiental Ermelinense”, levantem a mão. Os conselheiros que
são favoráveis a não aprovação do projeto “Escola Ambiental
Ermelinense”, permaneçam como estão. Então o projeto
“Escola Ambiental Ermelinense”, não foi aprovado por
unanimidade.

Comentários

VEJA TAMBÉM