27/07/2017

keralux 3Colocar a cabeça no travesseiro e conseguir dormir em paz. Depois de 20 anos, os moradores do Jardim Keralux, na região de Ermelino Matarazzo, Zona Leste, têm motivos para aliviar a preocupação de duas décadas já que, finalmente, os imóveis onde vivem irão, oficialmente, para suas mãos.

A certeza chegou há uma semana, após a Prefeitura anunciar a regularização fundiária do bairro. O acordo foi firmado entre a administração municipal e o Banco do Brasil, que recebeu o terreno depois da falência da empresa Keralux S/A Revestimentos Cerâmicos, proprietária de 90% do local.

Ao longo dos anos, os moradores já enfrentaram diversos problemas com o tema. O mais tenso ocorreu em 1996, quando uma ordem de reintegração de posse ameaçava destruir as casas e colocar 4 mil famílias nas ruas.

A professora Maria Elena Barros, 58 anos, nunca esqueceu aquele dia. “Eu e meu marido chamando todo mundo de madrugada. A gente não podia deixar destruir nossas casas. A gente iria pra onde? Não dava pra dormir em paz.”

Na época, Maria contou que ela e os vizinhos fizeram uma espécie de corrente de mulheres e crianças. “Ainda bem que a gente conseguiu evitar a reintegração”, relembra.

Depois de dois anos, os moradores conseguiram entrar com uma ação na Justiça para barrar uma possível ordem de saída do bairro.

Porém, as lutas não acabaram. Luz clandestina, ausência de linhas de ônibus e ruas esburacadas ou até mesmo sem asfalto foram alguns dos problemas. “Dava 19h e a gente não podia mais tomar banho porque senão todo mundo ficava sem luz”, disse a recepcionista Taíse Xavier, 29.

Apesar das dificuldades, a esperança de recomeço é citada por todos. “Criar minha filha agora e saber que vou ter o documento da minha casa traz muita tranquilidade”, relatou Taíse, mãe de Sofia, de 3 anos.

Para a comerciante Solange Meira, 54, ter um endereço é sinônimo de identidade. “Amo esse lugar e agora posso chamar ele de meu.”.

RESPOSTA DA PREFEITURA

Obras devem começar no fim do segundo semestre

Em nota, a Secretaria Municipal de Habitação declarou que as obras no Jardim Keralux terão início depois da homologação do acordo na Justiça feito pela Prefeitura e o Banco do Brasil, o que deve acontecer no fim do segundo semestre. A pasta explicou também que vai urbanizar todo o loteamento do Jardim Keralux com “obras de infraestrutura, pavimentação de todas as ruas, canalização de dois córregos, implantação de parque linear, arborização e regularização em cartório dos lotes”. O investimento aproximado será de R$ 66 milhões. Sobre a construção da UBS, a secretaria explicou que a Prefeitura vai fazer um estudo para saber qual equipamento público é necessário para o bairro, o que deve acontecer depois das intervenções como pavimentação das ruas. A respeito da linha 2735-10 (Jardim Keralux/Metrô Penha), a SPTrans, empresa municipal responsável pela gestão dos ônibus, afirmou que o ramal conta com 16 veículos “com frequência de nove ônibus por hora e intervalos de sete minutos no pico, 10 no entrepico e nove no pico da tarde”. A SPTrans disse ainda que, após a reclamação da reportagem, uma equipe de fiscalização vai se dirigir ao local para verificar se existe, mesmo, a necessidade de ajuste na linha.

Apenas 6 das 19 ruas do bairro são asfaltadas

O clima, agora, no Jardim Keralux, na Zona Leste, é de ansiedade. Finalmente “no mapa” da cidade com a regularização fundiária, os moradores contam os dias para começarem a ver o início das obras nas ruas do bairro.

Uma das principais reclamações são as ruas esburacadas e cheias de terra. “Já perdi as contas de quantas vezes caí por aqui, porque é tudo desnivelado e perigoso para pessoas idosas”, relatou a comerciante Solange Maria Meira, de 54 anos.

De acordo com o Instituto União do Keralux (associação dos moradores), das 19 vias que passam pelo bairro, apenas seis são asfaltadas. Algumas sequer têm pavimentação. Em dias de sol, a poeira atrapalha a vida dos habitantes do bairro. Já em dias de chuva, os problemas são o barro e as poças d’água.

“Algumas ruas foram pavimentadas com a emenda de um vereador, e as outras, por um mutirão. Metade do valor a Prefeitura pagou, e o resto foi a população”, explicou a presidente da associação, Adriana Poveda, que vive no Keralux desde 1996. A administração municipal promete asfaltar todas as vias.

O transporte público também é um drama. Apenas uma linha, a 2735-10 (Jardim Keralux/Metrô Penha) atende as mais de 4 mil famílias. “Os ônibus acabam não conseguindo atender a demanda e quando quebra isso só piora”, disse Adriana.

A população também critica a falta de grades em dois córregos. O motorista Claudenir Moura, 34, mora perto de um deles e disse ter perdido as contas das vezes em que viu alguém cair. “Tenho criança e sempre fico de olho para elas não ficarem perto do córrego. E o problema do cheiro só acontece mesmo quando não chove, mas a Prefeitura precisa fazer algo para melhorar isso”, disse.

SAÚDE/ Na saúde, a construção de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) é tida como prioritária. No terreno apontado pela comunidade como futura sede do posto não há sinal algum de que ali vai funcionar uma unidade do tipo.

Famílias passam a existir quando têm um endereço

A regularização fundiária é fundamental e imprescindível em qualquer que seja a política de habitação. É uma das ações mais complicadas e burocráticas, mas é a que melhor traz resultados imediatos e positivos. Você consegue que famílias passem a existir quando elas têm um endereço. Se elas não o possuem, ficam restritas de uma série de benefícios e direitos. Até uma ficha de emprego não dá para ser preenchida sem o endereço. Costumo chamar de cerimônia do nascimento quando uma área é regularizada na cidade. E, por isso, acredito que deva ser uma ação intensiva, radical e contínua por parte do poder público. Além de tornar essas pessoas visíveis, as famílias passam a se sentir seguras, pois sabem que não terão suas casas destruídas. Isso influencia até no planejamento econômico. Se alguém sabe que aquela casa é sua, passa a investir, poupar dinheiro, enfim, ascender na vida.

Fonte: Diário de São Paulo/

Comentários