Abaixo trascrevemos o seu relato:

“A rua foi pavimentada a muitos e muitos anos atrás pelos próprios moradores que, no entanto, pavimentaram-na com concreto e fizeram um pequeno sulco no meio de toda a rua para escoamento da água, pois a rua não tem bocas-de-lobo e com o agravante, de que a rua ficou ligeiramente inclinada para o lado direito e, com o desgaste do concreto, vários buracos já se formaram e vão aumentando de tamanho e quantidade com o passar dos dias.

Desta forma, como o sulco não faz o escoamento correto da água (água esta proveniente das casas dos moradores da Rua Franscisco Batista Rios, da Estrada de Mogi das Cruze e da própria Rua José Assunção dos Anjos), esta esparrama-se por todo o logradouro, ocasionando acumulo de sujeira, um mal cheiro que invade as casas e fomenta a proliferação de ratos e outros bichos de esgotos, dificulta o trânsito de veículos e pedestres e impede as brincadeiras das crianças. Sem comentar que em dia de chuva, a rua vira um pequeno riacho impedindo a circulação de pessoas e carros até o término desta chuva e escoamento da água.”

Ainda, segundo ele, os tapa-buracos que às vezes são feitos “não duram uma enxurrada”.

Comentários

VEJA TAMBÉM

, , , , , ,

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« 
 »